Acompanhamento telefônico realizado por enfermeiros reduz a mortalidade em pacientes com insuficiência cardíaca?

Evelin Capellari Cárnio; Maria Lúcia do Carmo Cruz Robazzi; Regina Aparecida Garcia Lima, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo/Centro Colaborador da OMS/OPAS para o Desenvolvimento da Pesquisa em Enfermagem, Ribeirão Preto, SP, Brasil. Emails: carnioec@eerp.usp.br; avrmlccr@eerp.usp.br; limare@eerp.usp.br

O estudo “Orientação de alta e acompanhamento telefônico na adesão terapêutica da insuficiência cardíaca: ensaio clínico randomizado, publicado na Revista Latino-Americana de Enfermagem (v. 27), mostrou que acompanhamento telefônico, realizado por enfermeiros a pacientes com insuficiência cardíaca, reduziu-lhes a mortalidade após a alta. O objetivo do estudo foi auxiliar os indivíduos a gerenciar seus tratamentos medicamentosos e não medicamentosos de forma eficaz, visando levar à redução nos eventos de reinternação bem como a mortalidade. Trata-se de um ensaio clínico randomizado, com inclusão de 201 pacientes, internados em pronto socorro de uma instituição pública especializada em cardiologia, com seis leitos de emergência, 21 de observação e 40 de retaguarda.

Os pacientes foram distribuídos aleatoriamente em dois grupos, sendo um o grupo controle que não recebeu a intervenção e o grupo intervenção, no qual os indivíduos eram contatados para uma reorientação via telefonemas em sete, 30 e após 90 dias. Posteriormente, era avaliada a adesão ao tratamento por meio dos testes de Morisky, Brief Medical Questionnaire (BEN; NEUMANN; MENGUE, 2012). O grupo intervenção apresentou maior adesão terapêutica medicamentosa e não medicamentosa em relação ao grupo controle, tendo assim, uma redução nas taxas de readmissão hospitalar em 18,5%, bem como, na de mortalidade em 28,5%, após os 90 dias de acompanhamento telefônico. O estudo mostra com clareza a importância da atuação competente dos enfermeiros na educação à saúde dos seus pacientes e motiva outros colegas a procederem profissionalmente nessa perspectiva.

Referências

BEN, Angela Jornada; NEUMANN, Cristina Rolim; MENGUE, Sotero Serrate. Teste de Morisky-Green e Brief Medication Questionnaire para avaliar adesão a medicamentos. Rev. Saúde Pública, v. 46, n. 2, p. 279-289, 2012. Available from: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89102012000200010&lng=en&nrm=iso>

Para ler o artigo, acesse

OSCALICES, Monica Isabelle Lopes et al. Orientação de alta e acompanhamento telefônico na adesão terapêutica da insuficiência cardíaca: ensaio clínico randomizado. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 27, e3159, 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692019000100347&lng=pt&nrm=iso 

Link externo

Revista Latino-Americana de Enfermagem: http://rlae.eerp.usp.br

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

CÁRNIO, E. C., ROBAZZI, M. L. C. C. and LIMA, R. A. G. Acompanhamento telefônico realizado por enfermeiros reduz a mortalidade em pacientes com insuficiência cardíaca? [online]. BlogRev@Enf, 2019 [viewed ]. Available from: https://blog.revenf.org/2019/09/05/acompanhamento-telefonico-realizado-por-enfermeiros-reduz-a-mortalidade-em-pacientes-com-insuficiencia-cardiaca/

 

One Thought on “Acompanhamento telefônico realizado por enfermeiros reduz a mortalidade em pacientes com insuficiência cardíaca?

  1. Mailson Marques de Sousa on setembro 13, 2019 at 4:03 pm said:

    Estudo de relevância para estimular o desenvolvimento e a implementação de tecnologias de cuidado de baixo custo para potencializar a adesão à terapêutica em pacientes com afeções crônicas, particularmente, a insuficiência cardíaca. Parabéns aos autores, recomendo a leitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Post Navigation