O processo de enfermagem está documentado nas instituições públicas de saúde?

Oswalcir Almeida de Azevedo e Diná de Almeida Lopes Monteiro da Cruz; Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem, São Paulo, SP, Brasil. E-mails: oswalcir@terra.com.br; dinamcruz@usp.br

Processo de enfermagem é o termo usado para identificar uma forma de organização do cuidado de enfermagem e compreende cinco fases: levantamento de dados, diagnóstico, planejamento; intervenções; e evolução (HERDMAN; KAMITSURU, 2015). Desde 2002, com a Resolução 272 (COFEN, 2002), o Conselho Federal de Enfermagem tornou obrigatória a documentação do processo de enfermagem nos prontuários de saúde dos usuários. O estudo realizado por pesquisadores da Escola de Enfermagem da USP-SP e da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (SES-SP), intitulado: “Documentação do processo de enfermagem em instituições públicas de saúde”, publicado na Revista da Escola de Enfermagem da USP (v. 53), com o objetivo de identificar a prevalência de documentação do PE nos hospitais e ambulatórios administrados pela SES-SP, mostrou que na maioria dos setores os enfermeiros relatam que documentam o processo de enfermagem, ao menos em parte.

Esse resultado pode ser atribuído às exigências da legislação profissional associadas ao programa de incentivo à implementação e documentação do processo de enfermagem adotado pela SES-SP nos anos anteriores à investigação. O estudo apresenta os resultados que abrangem as instituições de saúde de todo o território do Estado de São Paulo, sendo o primeiro a atingir esta amplitude. No estudo anterior realizado por Bersusa, Aly e Rocha (2008) foram abordadas instituições sediadas na capital. Dos 419 setores identificados em 40 instituições, 416 (97%) participaram da pesquisa e em quase todos ao menos uma fase do processo de enfermagem era documentada; mas em 5,8% nenhuma documentação do processo de enfermagem era feita. A frequência da documentação variou entre 78,8% no caso do levantamento de dados e do diagnóstico, 82,5% para a prescrição e 87% para a evolução. Os depoimentos revelaram que em 68,3% dos 416 setores abordados as quatro fases do PE e a anotação de enfermagem eram documentadas, sendo mais frequente nos setores de UTI (92,3%), PS (82,9%) e internação geral (77,6%); nos setores de centro cirúrgico e serviços de apoio diagnóstico a documentação atingiu menores índices correspondendo, respectivamente, a 31,8% e 11,1%. Nos setores de ambulatório e centro de apoio ao diagnóstico, foi relatada maior proporção de ausência de documentação no prontuário: 22,8% e 38,9% respectivamente.

Os resultados indicam que o tempo de permanência do paciente no setor é fator de influência direta na documentação do processo de enfermagem, pois as proporções mais baixas ocorreram em setores em que o tempo de permanência do usuário é baixo. Este fato leva-nos a sugerir a busca de alternativas para a documentação do processo de enfermagem nos setores de curta permanência dos pacientes. O estudo foi limitado ao relato dos enfermeiros, sem análise documental direta, e não permitiu saber se a documentação contempla todo o período de permanência do usuário no sistema de cuidados.

Referências

BERSUSA, A. A. S.; ALY, C. M. C.; ROCHA, M. S. Sistematização de assistência de enfermagem (SAE) nos hospitais estaduais da grande São Paulo: um diagnóstico possível. RECENF, v.  6, n. 19, p. 161-175, 2008.

CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. RESOLUÇÃO COFEN-272/2002 – Revogada pela Resolução COFEN nº 358/2009. Dispõe sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE – nas Instituições de Saúde Brasileiras. Brasília, 2002. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/resoluo-cofen-2722002-revogada-pela-resoluao-cofen-n-3582009_4309.html

HERDMAN, T. H.; KAMITSURU, S. Diagnósticos de enfermagem da NANDA: definições e classificação 2015-2017. Porto Alegre: Artmed, 2015.

Para ler os artigos, acesse

AZEVEDO, Oswalcir Almeida de et al. Documentação do processo de enfermagem em instituições públicas de saúde. Rev. esc. enferm. USP, v. 53, e03471, 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342019000100458&lng=en&nrm=iso

Link externo

http://www.ee.usp.br/site/Index.php/paginas/mostrar/1419/2094/147

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

AZEVEDO, O. A. and CRUZ, D. A. L. M. O processo de enfermagem está documentado nas instituições públicas de saúde? [online]. BlogRev@Enf, 2019 [viewed ]. Available from: https://blog.revenf.org/2019/10/10/o-processo-de-enfermagem-esta-documentado-nas-instituicoes-publicas-de-saude/

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Post Navigation