Envelhecimento populacional e as lesões de pele em idosos, por que acontecem?

Ana Karina S. Rocha Tanaka, Editora associada da Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre, RS, Brasil. E-mail: anakarinatanaka@gmail.com

Cecília Helena Glanzner, Editora associada da Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre, RS, Brasil. E-mail: ceciliaglanzner@hotmail.com

Dagmar Elaine Kaiser, Editora associada da Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre, RS, Brasil. E-mail: dagmar.kaiser@ufrgs.br

Michelle Dornelles Santarem, Editora associada da Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre, RS, Brasil. E-mail: michesantarem@gmail.com

O contexto atual de aumento da expectativa de vida populacional tem revelado uma busca aumentada de atendimento às instituições de saúde devido a complicações e descompensações secundárias ao desenvolvimento de doenças crônicas não-transmissíveis (DCNT). Isso requer dos profissionais de enfermagem e da saúde o reconhecimento de como as DCNT se manifestam na pele, ao estabelecerem uma relação entre corpo e meio ambiente. Disfunções metabólicas, neoplasias, doenças nutricionais, pressão intensa ou prolongada da pele com superfícies ou dispositivos terapêuticos em combinação com cisalhamento e fricção, reações adversas a medicamentos ou doenças infecciosas sistêmicas como Dengue, Zika, Chikungunya, Febre Amarela, Sarampo, Escarlatina, Doença de Chagas, Tuberculose, Sífilis, Hanseníase, Leishmaniose, micoses e outras tantas enraízam-se à pele, matriz de todos os sentidos na vasta superfície do corpo.

No artigo “Competências do gestor de feridas: scoping review”, publicado pela Revista Gaúcha de Enfermagem (RGE, vol. 40), Silva e Fernandes (2019) destacaram que nos últimos anos tem havido um aumento da procura de enfermeiros com competências específicas na abordagem à pessoa com lesões de pele por diversos fatores: inversão da pirâmide etária; aumento exponencial com os custos no tratamento de pessoas com feridas; reconhecimento da população acerca da existência destes profissionais; novos avanços tecnológicos e tratamentos inovadores; rápida expansão dos conhecimentos; aumento da necessidade de profissionais qualificados; maior complexidade das equipes que necessitam de coordenação no cuidado da pele.

Em outro artigo, intitulado “Avaliação do risco para o desenvolvimento de lesões perioperatórias decorrentes do posicionamento cirúrgico”, ficou evidente a importância da avaliação precoce do risco de desenvolvimento de Lesão por Pressão (LP) por enfermeiros de uma maneira geral. O estudo transversal, realizado em um Hospital Público, confirmou por meio da aplicação da Escala de Braden e a Avaliação de Risco para o Desenvolvimento de Lesões Decorrentes de Posicionamento Cirúrgico (ELPO) por enfermeiros em pacientes submetidos a cirurgias eletivas e com posicionamento cirúrgico prolongado, que a idade avançada, a deambulação tardia e a presença de comorbidades prévias estão associadas a um maior risco para o desenvolvimento de lesões cirúrgicas por posicionamento (OLIVEIRA et al., 2019).

Esse conjunto de evidências reforça o declínio funcional como fator associado de lesões de pele, decorrendo substancialmente da vulnerabilidade e do risco de ocorrência de lesões de indivíduos com carga maior de comorbidades prévias ou com idade avançada. Sua aplicabilidade na práxis de enfermagem nos diferentes níveis de atenção é condição sine qua non para a realização de um trabalho eficiente nos serviços de saúde. Freitas et al. (2020), no estudo “Performance do enfermeiro/equipe de enfermagem na dispensação de materiais para assistência ao usuário no domicílio”, ao contextualizarem a performance do enfermeiro/equipe de enfermagem na dispensação de materiais para assistência ao usuário no domicílio, na atenção básica, reportam a estratégias e práticas que requerem a compreensão de normas assistenciais e dos processos de trabalho que são legalmente direcionados à enfermagem no cuidado da pele. Os autores pormenorizam arranjos tecnológicos do trabalho em saúde na atenção básica, trazendo destaque a avaliação das necessidades do usuário domiciliário na logística do gerenciamento de materiais para o atendimento às demandas de dispensação de insumos, às práticas de autocuidado e ao direcionamento da equipe de enfermagem nas ações a serem realizadas. São muitas as  habilidades requeridas ao enfermeiro, como pensamento crítico, de intervenção e análise, de tomada de decisões éticas com utilização de ferramentas de liderança no estabelecimento das prioridades, haja vista a complexidade do cuidado da pele que envolve o usuário domiciliário e as contradições e dinâmicas de trabalho peculiares às realidades postas no trabalho na atenção básica, nem sempre justas com a capacidade da equipe de enfermagem.

Referências

FREITAS, P. de C., et al. Performance of nurses/nursing team in the dispensing of materials for users of home care Services. Rev Gaúcha Enferm., Porto Alegre [online]. 2020, vol. 41, no. spe., e20190151. ISSN: 1983-1447 [viewed 15 April 2020]. DOI: 10.1590/1983-1447.2020.20190151.Available from: https://www.seer.ufrgs.br/RevistaGauchadeEnfermagem/article/viewFile/99727/55812

OLIVEIRA, H.M.B. de S., et al. Risk assessment for the development of perioperative lesions due to surgical positioning. Rev. Gaúcha Enferm., Porto Alegre [online]. 2019, vol. 40, no. spe, e20180114. ISSN: 1983-1447 [viewed 15 April 2020]. DOI: 10.1590/1983-1447.2019.20180114. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-14472019000200425&lng=en&nrm=iso

SILVA, R.M. and FERNANDES, F.A.V. Wound Navigator Profiling: scoping review. Rev. Gaúcha Enferm., Porto Alegre [online]. 2019, vol. 40, e20180421. ISSN: 1983-1447 [viewed 15 April 2020]. DOI: 10.1590/1983-1447.2019.20180421. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-14472019000100900&lng=en&nrm=iso

Link externo

www.scielo.br/rgenf

https://seer.ufrgs.br/RevistaGauchadeEnfermagem  

https://www.facebook.com/rgenf

www.ufrgs.br/eenf

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

TANAKA, A. K. S. R., et al. Envelhecimento populacional e as lesões de pele em idosos, por que acontecem? [online]. BlogRev@Enf, 2020 [viewed ]. Available from: https://blog.revenf.org/2020/06/05/envelhecimento-populacional-e-as-lesoes-de-pele-em-idosos-por-que-acontecem/

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Post Navigation