Enfermeiras obstétricas e as boas práticas tecnológicas de cuidado à mulher em trabalho de parto

Tatiane Herreira Trigueiro; Luciana Puchalski Kalinke, Editoras da Cogitare Enfermagem, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, Brasil. E-mail: tatiherreira@ufpr.br; lucianakalinke@ufpr.br

Dos estudos publicados no volume 24 da Cogitare Enfermagem, dois abordam o tema relacionado à Enfermagem Obstétrica. Ambos trazem as tecnologias de cuidado para o parto humanizado, como instrumentos que favoreçam a autonomia da mulher em trabalho de parto e um cuidado seguro.

O primeiro artigo “Tecnologias do cuidado na enfermagem obstétrica: contribuição para o parto e nascimento”, teve como objetivo, identificar as tecnologias do cuidado utilizadas por enfermeiras obstétricas em um Centro de Parto Normal. Os autores conceituam os tipos de tecnologias e destacam, que estas envolvem saberes e habilidades em um contexto de saber estruturado e aplicado com intencionalidade e justificativa, produzindo resultados que satisfaçam as necessidades dos seres humanos (TAKEMOTO; CORSO, 2013). Para atingir os objetivos do estudo, foram realizadas entrevistas com dezoito enfermeiras obstétricas em um Centro de Parto Normal localizado no município do Rio de Janeiro. Os métodos não farmacológicos citados pelas enfermeiras foram: banho de aspersão, massagem, bola suíça, cavalinho, aromaterapia, musicoterapia, livre movimentação, ambiente acolhedor e presença do acompanhante, como práticas do seu cuidado junto às mulheres. Os autores destacam a importância do apoio do profissional de saúde em relação à mulher ao promover segurança, atenção nos cuidados junto ao acompanhante, assim como estimular e promover o seu direito para que ela seja respeitada durante todo o processo de parto e nascimento (DUARTE et al., 2019). O estudo conclui dizendo que a utilização das tecnologias do cuidado permite que as enfermeiras obstétricas valorizem as práticas humanizadas no contexto do parto e nascimento, e promovam sua autonomia, mostrando a importância para a garantia de emprego de práticas para um cuidado centrado nas necessidades da mulher.

O segundo artigo, intitulado “Retrato das práticas obstétricas em uma maternidade pública”, identifica as práticas obstétricas adotadas durante a assistência ao parto e nascimento de uma maternidade pública em Aracaju – Sergipe. As práticas obstétricas foram classificadas em níveis de recomendação conforme a Organização Mundial de Saúde (1996, 2018). O estudo foi desenvolvido com 373 puérperas com idade gestacional ≥ 37 semanas. Destas, 109 utilizaram o banho morno e 50 mulheres fizeram o uso da bola suíça. Também foram realizadas práticas como: ocitocina 236 (63,3%), episiotomia 51 (19,8%) e Kristeller 129 (34,6%). O estudo conclui sobre a necessidade de adequação do ambiente e implementação de boas práticas para um cuidado seguro, do parto ao nascimento, assim como formação de novos profissionais com este olhar.

Ambos os estudos mostram a atuação das Enfermeiras Obstétricas na assistência ao parto, assim como o uso de tecnologias que contribuam na promoção da autonomia da mulher e sua família.

Referências

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE – OMS. Boas práticas de atenção ao parto e ao nascimento. Maternidade segura. Assistência ao parto normal: um guia prático. Genebra: OMS, 1996. Disponível em: http://static.hmv.org.br/wp-content/uploads/2014/07/OMS-Parto-Normal.pdf 

TAKEMOTO, A. Y.; CORSO, M. R. Parto humanizado e a assistência de enfermagem: uma revisão da literatura. Arq. ciências saúde UNIPAR, v. 17, n. 2, 2013. Disponível em: http://revistas.unipar.br/index.php/saude/article/view/5002

WORLD HEALTH ORGANIZATION – WHO. WHO Recommendations: intrapartum care for a positive childbirth experience. Geneva: WHO, 2018. Disponível em: http://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/260178/9789241550215eng.pdf;jsessionid=50BEEAEAEA613C9B2819228F1BE93360?sequence=1

Para ler os artigos, acesse

DUARTE, M. R. et al. Tecnologias do cuidado na enfermagem obstétrica: contribuição para o parto e nascimento. Cogitare enferm., v. 24, e54164, 2019. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/cogitare/article/view/54164

INAGAKI, A. D. de M. et al. Retrato das práticas obstétricas em uma maternidade pública. Cogitare enferm., v. 24, e56121, 2019. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/cogitare/article/view/56121

Link externo

Cogitare Enfermagem: www.cogitare.ufpr.br

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

HERREIRA, T. T. and KALINKE, L. P. Enfermeiras obstétricas e as boas práticas tecnológicas de cuidado à mulher em trabalho de parto [online]. BlogRev@Enf, 2019 [viewed ]. Available from: https://blog.revenf.org/2019/06/19/enfermeiras-obstetricas-e-as-boas-praticas-tecnologicas-de-cuidado-a-mulher-em-trabalho-de-parto/

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Post Navigation