Quais são os sinais de alerta da pressão arterial elevada em crianças brasileiras?

Ricardo Alexandre Arcêncio; Regina Aparecida Garcia Lima, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo/Centro Colaborador da OMS/OPAS para o Desenvolvimento da Pesquisa em Enfermagem, Ribeirão Preto, SP, Brasil. E-mails: ricardo@eerp.usp.br; limare@eerp.usp.br

O artigo “Indicadores antropométricos associados à pressão arterial elevada em crianças residentes em áreas urbana e rural”, publicado na Revista Latino-Americana de Enfermagem (ANDRADE et al., 2019), buscou avaliar indicadores antropométricos e demográficos associados à pressão arterial (PA) elevada em crianças de 6 a 10 anos de idade de áreas urbana e rural de Minas Gerais. Este post destaca a mudança epidemiológica no padrão de morbi-mortalidade de crianças com respeito a pressão arterial, tanto em áreas urbanas quanto rurais.

Tais achados demonstram a importância das avaliações antropométricas e medidas preditivas de alterações na PA em crianças de diferentes contextos territoriais, no sentido da adoção de políticas públicas e ações estratégicas direcionadas à qualidade de vida destas na fase adulta (MUNTNER et al., 2004). Para isto, foi realizado um estudo transversal com 335 crianças. Foram coletados dados antropométricos, demográficos e de pressão arterial.A circunferência da cintura aumentada, indicador de gordura central ou abdominal, assim como o Índice Massa Corporal (IMC), indicador de gordura corporal, foram preditores de PA elevada em crianças de região rural e urbana, respectivamente, podendo estas medidas serem aplicadas para rastreio. Os resultados do estudo apontam para a prevalência de PA elevada significativamente maior entre as crianças da área rural.

Como a aferição da pressão arterial não representa prática rotineira na avaliação de crianças, o IMC elevado e a circunferência da cintura aumentada poderão indicar as crianças com maiores chances de PA elevada, medidas estas que poderão contribuir com o cuidado em saúde. É preciso reconhecer a importância de incluir na rotina de avaliações de crianças, em escolas e unidades de saúde, bem como nas consultas médicas e de enfermagem, a avaliação do IMC e da circunferência da cintura como preditores associados à PA elevada.

Referências

ANDRADE, Gisele Nepomuceno de et al. Indicadores antropométricos associados à pressão arterial elevada em crianças residentes em áreas urbana e rural. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 27, e3150, 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692019000100335&lng=en&nrm=iso 

MUNTNER, P. et al. Trends in blood pressure among children and adolescents. JAMA, v. 291, n. 17, p. 2107-2113, 2004. Avaliable from: https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/198685

Link externo

Revista Latino-Americana de Enfermagem: http://www.rlae.eerp.usp.br/

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

ARCÊNCIO, R. A. and LIMA, R. A. G. Quais são os sinais de alerta da pressão arterial elevada em crianças brasileiras? [online]. BlogRev@Enf, 2019 [viewed ]. Available from: https://blog.revenf.org/2019/08/22/quais-sao-os-sinais-de-alerta-da-pressao-arterial-elevada-em-criancas-brasileiras/

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Post Navigation