Como o profissional de enfermagem pode auxiliar criança com dor oncológica crônica?

Thiago Privado da Silva, Professor do Curso de Enfermagem da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Campus Macaé, Macaé, RJ, Brasil. E-mail: thiagopsilva87@gmail.com

Ítalo Rodolfo Silva, Professor do Curso de Enfermagem da Universidade Federal do Rio de Janeiro e do Programa de Pós-Graduação da Escola de Enfermagem Anna Nery, Macaé, RJ, Brasil. E-mail: italoufrj@gmail.com

O cuidado à criança com dor oncológica crônica, na perspectiva dos profissionais de enfermagem, apresenta desafios que envolvem: gerenciamento de recursos humanos e materiais; atenção ao familiar e à criança em precaução de contato; registros de enfermagem. Com o devido destaque para este último, uma vez que influencia aspectos éticos e legais, bem como ações que norteiam o gerenciamento do cuidado de enfermagem (SONG et al., 2015; UNNÉ; ROSEGREN, 2013). Apesar disto, os demais profissionais da equipe de saúde percebem os cuidados de enfermagem como adequados e de qualidade à criança hospitalizada com dor oncológica crônica, foi o que revelou o estudo “Cuidados de enfermagem prestados à criança hospitalizada com dor oncológica crônica: percepções dos profissionais de saúde”, publicado na Revista Baiana de Enfermagem (v. 33), sustentados no referencial teórico da Teoria da Complexidade e no referencial metodológico da Teoria Fundamentada nos Dados.

O objetivo da pesquisa foi compreender o gerenciamento do cuidado de enfermagem à criança hospitalizada com dor oncológica crônica, realizada com 21 participantes, envolvendo profissionais de enfermagem e demais profissionais da equipe de saúde. O estudo revelou, também, que no âmbito das potencialidades gerenciais e assistenciais, como estratégia de enfrentamento às desordens mencionadas, é necessário maior investimento na capacitação profissional, em todos os turnos de trabalho, a fim de conferir mais autonomia dos profissionais de enfermagem, especialmente do enfermeiro na tomada de decisão relacionada ao manejo da dor.

Ademais, faz-se necessária a valorização profissional como estratégia para o enfrentamento do absenteísmo, bem como condição mantenedora da qualidade assistencial, ao passo que a valorização profissional tem relação direta com o sentimento de satisfação profissional, produtividade e alta qualidade do serviço prestado.

O estudo reforça o entendimento de que o cuidado de enfermagem à criança hospitalizada com dor oncológica crônica se apresenta como fenômeno complexo, ao passo que demanda a valorização de múltiplos aspectos, a saber: multidimensionalidade da dor, trabalho em equipe, imprevisibilidades, ordem/desordem, abordagem centrada nas necessidades da criança e da família, gerenciamento de conflitos, especificidades contextuais da oncologia pediátrica, elaboração de estratégias de interação e enfrentamento, entre outros.

Nesse sentido, conhecer a percepção dos profissionais de saúde sobre os cuidados de enfermagem prestados à criança, na condição exposta, surge como importante possibilidade para apontar potencialidades e limitações dessa prática, que no contexto da pesquisa estão relacionadas as interações estabelecidas em uma Unidade de Internação Pediátrica (UIP) de um hospital público da cidade do Rio de Janeiro.

Referências

SONG, W. et al. Evalution of evidence-based Nursing pain management pratice. Pain Manag Nurs., v. 16, n. 4, p. 456-463, 2015. Avaliable from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4531385/#R10

UNNÉ, A.; ROSEGREN, K. Staff experience of pain management: an improvement in palliative care. Pharmacy, v. 1, n. 2, p. 119-136, 2013. Available: http://www.mdpi.com/2226-4787/1/2/119

Para ler o artigo, acesse

SILVA, T. P. Cuidados de enfermagem prestados à criança hospitalizada com dor oncológica crônica: percepções dos profissionais de saúde. Rev baiana enferm., v. 33, e29690, 2019. Disponível  em: https://portalseer.ufba.br/index.php/enfermagem/article/view/29690

Link externo

Revista Baiana de Enfermagem: https://portalseer.ufba.br/index.php/enfermagem

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

SILVA, T. P. and SILVA, I. R. Como o profissional de enfermagem pode auxiliar criança com dor oncológica crônica? [online]. BlogRev@Enf, 2019 [viewed ]. Available from: https://blog.revenf.org/2019/12/12/como-o-profissional-de-enfermagem-pode-auxiliar-crianca-com-dor-oncologica-cronica/

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Post Navigation