Abordagens históricas na produção do conhecimento em Enfermagem

Mercedes Neto, Professora adjunta da Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. E-mail: mercedesneto.uerj@gmail.com

Cristiane Helena Gallasch, Professora adjunta da Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Editora associada da Revista Enfermagem UERJ, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. E-mail: cristiane.gallasch@gmail.com

A realização de pesquisas na perspectiva da História na Enfermagem consiste na desconstrução de crenças e mitos estabelecidos, levando o pesquisador a progredir em termos de conhecimento. Ou seja, consiste em entender o passado como a invenção do presente. Estas compreensões na pesquisa devem ressaltar que tanto os documentos históricos, quanto as narrativas dos fatos são uma aproximação daquilo que ocorreu no passado, compreendendo os testemunhos por meio de uma memória seletiva. Nesta apresentação, foram analisados três artigos publicados na Revista Enfermagem UERJ na temática de História da Enfermagem no ano de 2019.

Os manuscritos intitulados “Imagem pública da enfermeira: pesquisa documental (1910-1920)”, “Enfermeiros nas páginas da imprensa escrita no Distrito Federal (1920-1940)” possuem como fontes historiográficas, matérias jornalísticas, sendo um por meio do texto escrito, e outra pelo texto imagético. Já o artigo “As contribuições de Stella Barros para a enfermagem brasileira: trajetória de vida e militância política” tem enforque biográfico, com levantamento de história oral pelas memórias individuais de indivíduos ilustres ou anônimos, que permitem criar uma versão e uma interpretação do desenvolvimento da profissão e do cuidado prestado.

Verifica-se, assim, a utilização de diferentes recursos analíticos, que permitiram compreender a reflexão sobre ideias, ações e circunstâncias nas quais a Enfermagem se construiu ao longo dos anos, relacionando aspectos teóricos às práticas desta profissão com abordagens antropológicas e sociológicas no campo da História. O primeiro artigo examina estudos desenvolvidos sobre a imagem pública da enfermeira brasileira veiculada em revistas ilustradas das décadas de 1910 e 1920, ratificando uma construção ligada à concorrência dos marcadores institucionais, que prevalece investida pela Escola Prática de Enfermeiras da Cruz Vermelha Brasileira, apontada nos vestígios de disputa pela instituição de ensino e também no campo das relações internacionais (SOUZA et al., 2019a).

O segundo buscou identificar a participação dos enfermeiros no cuidado individual, coletivo, gestão e organizações de classe. Identificou 13 notícias na impressa escrita, que foram organizadas em quatro temáticas: Entidade de classe civil, Entidade da classe militar, Instituição de Saúde Civil e Instituições de saúde militar. A análise dos resultados direcionou a compreensão das diversas trajetórias percorridas pelos enfermeiros do sexo masculino na formação da identidade profissional da enfermagem e do cuidado como campo de atividade de homens e mulheres (SOUZA et al., 2019b). Já o terceiro trabalho analisou a trajetória de vida de Stella Barros, identificando um ícone no cenário nacional e internacional, com percurso marcado pelo ativismo político, a contribuição científica na discussão de problemas expressos pela alienação e ausência de identidade, valorização e reconhecimento profissional (ALMEIDA et al., 2019).

Os três artigos evidenciam perspectivas da contribuição da História da Enfermagem relacionando as áreas e disciplinas afins na reflexão da profissão para construção do conhecimento de forma transversal a trajetória humana, seja pelas personalidades que edificam o cuidado ou pelas representações deste cuidado por meio da imagem da Enfermeira.

Referências

ALMEIDA, Deybson Borba de et al. As contribuições de Stella Barros para a enfermagem brasileira: trajetória de vida e militância política. Rev. enferm. UERJ, v. 27, e39003, 2019. Disponível em: http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-35522019000100314&lng=pt&nrm=iso

SOUZA, Hugo Alberto Neves de et al. Enfermeiros nas páginas da imprensa escrita no Distrito Federal (1920-1940). Rev. enferm. UERJ, v. 27, e38847, 2019a. Disponível em: http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-35522019000100313&lng=pt&nrm=iso

SOUZA, Hugo Alberto Neves de et al. Imagem pública da enfermeira: pesquisa documental (1910-1920). Rev. enferm. UERJ, v. 27, e39281, 2019b. Disponível em: http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-35522019000100330&lng=pt&nrm=iso

Link externo

Revista de Enfermagem da UERJ: http://www.facenf.uerj.br/revenfermuerj.html

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

NETO, M. and GALLASCH, C. H. Abordagens históricas na produção do conhecimento em Enfermagem [online]. BlogRev@Enf, 2019 [viewed ]. Available from: https://blog.revenf.org/2019/12/19/abordagens-historicas-na-producao-do-conhecimento-em-enfermagem/

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Post Navigation