Como homens têm vivenciado a pandemia de COVID-19 no Brasil?

Anderson Reis Sousa, Doutor em Enfermagem e Saúde, Professor assistente da Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia (EEUFBA), Salvador, BA, Brasil.

Isabella Félix Meira Araújo, Doutoranda na Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia (EEUFBA), Salvador, BA, Brasil.

Cléa Conceição Leal Borges, Mestra em Enfermagem e Saúde, Universidade Federal da Bahia (EEUFBA), Salvador, BA, Brasil.

Os resultados obtidos pelo estudo “Saúde de homens na pandemia da COVID-19: panorama brasileiro”, realizado pelo Grupo de Pesquisa na linha de Masculinidade e Saúde de Homens da Escola de Enfermagem da UFBA – EEUFBA e publicado na Revista Baiana de Enfermagem (RBE, vol. 29), demonstraram que a pandemia da COVID-19 trouxe impactos no trabalho, na saúde física e psicossocial e na vida familiar, sexual, financeira, religiosa e bioenergética de homens. Ao passo que essas implicações tragam prejuízos para a população masculina, também geram uma mobilização, no sentido de impulsionar modos de adaptação, enfrentamento e de cuidado de si.

Os resultados apresentados constituem um panorama vinculado à uma pesquisa maior denominada: “Vivências de homens em contexto de pandemia do novo Coronavírus-SARS-CoV-2 (COVID-19) no Brasil: um enfoque para à saúde”. Com abordagem qualitativa, o estudo que objetivou apresentar o panorama da saúde de homens em vivência da pandemia da COVID-19 no Brasil e contou com a participação de 100 homens. A coleta de dados aconteceu entre os meses de abril e agosto de 2020 em um ambiente virtual.

Foi utilizado um formulário construído na plataforma Google Forms®, para a coleta dos dados, composto de perguntas sobre as características sociodemográficas, econômicas, de saúde e por perguntas que tratavam das vivências dos homens no contexto da pandemia. Para a seleção dos participantes, utilizou-se como critérios: ser homem adulto e residente no Brasil. Para a captação dos mesmos, foi realizada uma ampla divulgação do link de acesso ao formulário nas redes sociais digitais, como Facebook®, Instagram® e WhatsApp®.

Fonte: Autores, 2021.

Figura 1. Layout das pesquisas que constituíram os resultados do estudo: “Saúde de homens na pandemia da COVID-19: panorama brasileiro”. Salvador, Bahia, Brasil, 2021.

Esse estudo tem sua relevância pelo fato de o público masculino constituir o mais afetado pela COVID-19. Considerando o cenário pandêmico brasileiro, os homens são predominância tanto nas taxas de casos confirmados quanto nas taxas de mortalidade no país (BRASIL, 2020; BWIRE, 2020).  Considerando que a população masculina apresenta maior risco ao adoecimento, devido à resistência de si cuidar e às dificuldades encontradas na busca por atendimento nos serviços de saúde, a qualificação e treinamento constante dos profissionais de saúde permitem a estes acolher as demandas e as necessidades apresentadas pelos homens (SOUSA et al., 2016).

Assim, é necessário reconhecer que a pandemia tem provocado impactos negativos na qualidade de vida das pessoas, principalmente no que diz respeito à saúde de homens. Nesse ínterim, salienta-se a importância de capacitação da equipe de enfermagem e saúde, que se configuram profissionais na linha de frente em combate à COVID-19, no sentido que identificar tais impactos e promover ações de cuidado aos homens.

Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico Especial: Doença pelo Coronavírus COVID-19, [online]. 2020, no. 29.  Available from:  https://antigo.saude.gov.br/images/pdf/2020/September/02/18h-Boletim-epidemiologico-COVID-29-final.pdf

BWIRE, G. M. Coronavirus: why men are more vulnerable to Covid-19 than women?. SN Comprehensive Clinical Medicine [online]. 2020, vol. 22, pp. 874-876. [viewed 29 Set 2021]. e-ISSN: 2523-8973 [viewed 29 September 2021]. https://doi.org/10.1007/s42399-020-00341-w. Available from: https://link.springer.com/content/pdf/10.1007/s42399-020-00341-w.pdf

SOUSA, A. R., et al. Homens nos serviços de atenção básica à saúde: repercussões da construção social das masculinidades. Revista Baiana de Enfermagem‏ [online]. 2016, vol. 30, no. 3. e-ISSN: 2178-8650 [viewed 29 September 2021]. https://doi.org/10.18471/rbe.v30i3.16054. Available from: https://periodicos.ufba.br/index.php/enfermagem/article/view/16054.

Para ler o artigo, acesse

SOUSA, A. R., et al. Saúde de homens na pandemia da COVID-19: panorama brasileiro. Revista Baiana de Enfermagem [online]. 2021‏, vol. 35, e38683. e-ISSN: 2178-8650 [viewed 29 September 2021]. https://doi.org/10.18471/rbe.v35.38683. Available from: https://periodicos.ufba.br/index.php/enfermagem/article/view/38683.

Links externos:

Revista Baiana de Enfermagem: https://portalseer.ufba.br/index.php/enfermagem

http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?script=sci_serial&pid=2178-8650&lng=pt&nrm=iso

Instagram: revistabaiana

Instagram do grupo de pesquisa sobre saúde de homens da EEUFBA: cuidadoasaudedehomens

Twitter: @revistabaiana

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

SOUSA, A.R., ARAÚJO, I.F.M. and BORGES, C.C.L. Como homens têm vivenciado a pandemia de COVID-19 no Brasil? [online]. BlogRev@Enf, 2021 [viewed ]. Available from: https://blog.revenf.org/2021/11/05/como-homens-tem-vivenciado-a-pandemia-de-covid-19-no-brasil/

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Post Navigation