Alterações de sono e transtornos mentais comuns: acontecem em trabalhadores de enfermagem?

Maria Lucia do Carmo Cruz Robazzi, Professora visitante da Universidade Federal da Paraíba e titular sênior da Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, SP, Brasil.

Rosalina Aparecida Partezani Rodrigues, Professora titular da Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, SP, Brasil.

A prevalência da qualidade do sono e do transtorno mental comum e os fatores associados à alteração do sono estão descritos no artigo “Qualidade do sono e transtorno mental comum em equipe de enfermagem hospitalar”, publicado na Revista Latino-Americana de Enfermagem (vol. 29). Pesquisando 196 trabalhadores de enfermagem, os autores identificaram alteração do sono em 76,5% deles; a qualidade do sono foi classificada como ruim em 41,8% e o distúrbio do sono em 27,6%. Entre esses trabalhadores, o transtorno mental comum foi prevalente em 36,7% e esse tipo de transtorno foi o principal motivo para a má qualidade do sono. Além disso, os fatos de trabalhar em hospital público, por mais de quarenta horas semanais, ser do sexo feminino, com cor de pele branca, ter um emprego, e ter maior tempo de trabalho na instituição, além do trabalho noturno, foram aspectos que demonstraram associação com a avaliação da qualidade do sono.

Imagem: jcomp.

Para chegarem a esses resultados, os autores realizaram, em 2018, um estudo transversal, analítico e quantitativo, com 196 trabalhadores de enfermagem de um hospital público e de um misto; a coleta de dados deu-se por meio de um instrumento caracterização sociodemográfica, do Self-Report Questionnaire 20 e do Índice de Qualidade de Sono de Pittsburgh. Os dados foram analisados por estatística descritiva e inferencial para identificar possíveis fatores associados com a alteração no sono.

O estudo mostra as características laborais pelas quais se submetem os trabalhadores de enfermagem que atuam em hospitais, em vários países e identifica que muitos apresentam prejuízos no sono, paralelamente ao fato de realizarem um trabalho desgastante, que lhes pode alterar tanto a saúde física como mental, favorecendo o desenvolvimento de transtornos mentais. A pesquisa apresenta, com clareza, a dinâmica desgastante do trabalho hospitalar e pode favorecer aos gestores elementos para auxiliarem na elaboração de programas de promoção à saúde para esse grupo populacional.

Para ler o artigo acesse

CAVALHEIRI, J. C., et al. Qualidade do sono e transtorno mental comum em equipe de enfermagem hospitalar. Revista Latino-Americana de Enfermagem [online]. 2021, vol. 29, e3444. ISSN: 1518-8345 [viewed 19 October 2021]. https://doi.org/10.1590/1518-8345.4280.3444. Available from: https://www.scielo.br/j/rlae/a/psrzDVpyRfnpcVyR7hfJWtP/abstract/?lang=pt#

Links externos

Revista Latino-americana de Enfermagem: http://rlae.eerp.usp.br/

Revista Latino-americana de Enfermagem – SciELO: https://www.scielo.br/rlae

Revista Latino-americana de Enfermagem – Facebook: https://www.facebook.com/rlae.nursing

Revista Latino-americana de Enfermagem – Instagram: https://www.instagram.com/rlaeeerp

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

ROBAZZI, M.L.C.C. and RODRIGUES, R.A.P. Alterações de sono e transtornos mentais comuns: acontecem em trabalhadores de enfermagem? [online]. BlogRev@Enf, 2021 [viewed ]. Available from: https://blog.revenf.org/2021/11/26/alteracoes-de-sono-e-transtornos-mentais-comuns-acontecem-em-trabalhadores-de-enfermagem/

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Post Navigation